Sobre liberdade, parceria e ser atropelado na linha do trem

“Eu esperava mais de você e do seu irmão! Vocês são tão inteligentes, pensei que fossem mudar o mundo, mas viraram dois funcionários públicos comuns e nem se incomodam com isso.”

Foi essa a frase que mudou a minha vida! De manhã eu não costumo raciocinar muito bem, mas essa frase me fez ACORDAR!

Escutar algo assim da minha mãe foi horrível, porque ela é do tipo de pessoa que nunca abre a boca pra dar palpite na vida de ninguém.

À noite, no mesmo dia, contei para o meu irmão o que tinha ouvido da nossa mãe e, graças a isso, decidimos comprar alguns cursos online para estudarmos juntos para concursos públicos. Na minha cabeça, aquele seria o único caminho para melhorarmos nossas vidas.

Começamos a assistir os cursos, mas as aulas pareciam sessões de tortura. Eu bocejava, contava os minutos para acabar e quando olhava para o lado via o meu irmão exatamente na mesma “empolgação”.

Foi assim, depois de 10 anos no serviço público, que eu comecei a me questionar se estava trabalhando com a minha verdadeira vocação, percebi que a única resposta coerente seria NÃO e comecei a dar meus primeiros passos em direção ao meu grande SIM profissional.

crossroad

Obrigada, mãe! Você sempre foi uma parceira incrível!

Essa história é muito legal, mas hoje estou aqui para lhe falar de outra parceria que também deu super certo: fundar a Reconstruindo Histórias junto com o meu irmão Nando Teixeira.

Para você entender porque a nossa parceria funcionou logo de cara e continua funcionando tão bem, precisamos conversar sobre uma ferramenta de análise comportamental que se chama DiSC.

A ciência comportamental por trás da avaliação DiSC sustenta que todas as pessoas possuem quatro qualidades básicas de comportamento em diferentes graus, podendo variar em uma escala de 1 a 7:  DOMINÂNCIA, INFLUÊNCIA, ESTABILIDADE e CAUTELA.

11920431_10153552719121552_1492130341_n

Pessoas com alta Dominância são focadas em resultados/dinheiro. Ex: Bill Gates, Dilma Rousseff, Papa Bento XVI, Fernando Collor;

Pessoas com alta Influência são focadas em relacionamentos/pessoas. Ex: Aécio Neves, Papa Francisco, Ivete Sangalo, Lula;

Pessoas com alta Estabilidade são focadas em harmonia/consistência. Ex: Barack Obama, Marina Silva, Fernando Henrique Cardoso e Papa João Paulo II;

Pessoas com alta Cautela são focadas em estrutura/detalhes/organização. Ex: Itamar Franco, Steve Jobs, Carlos Alberto Parreira e Margaret Thatcher.

Após compreender seu perfil, fica muito mais fácil saber como agir, tomar decisões importantes, melhorar suas ações e suas preferências. Foi exatamente isso o que aconteceu comigo!

Quando eu fiz esse teste estava em plena transição de carreira. Era servidora pública e queria ser coach. Quando eu vi meu “C” com nota 1 percebi que, apesar de trabalhar com algo extremamente minucioso, eu não era nada detalhista e foi assim que eu entendi e aceitei o fato de nunca ter me destacado profissionalmente como advogada pública.

Meu verdadeiro talento sempre foi me relacionar bem com pessoas (observem o “I” com nota 7), por isso eu sempre tive uma quantidade enorme de amigos. Quando eu olhei para esse gráfico, a informação que consegui extrair dele foi: vai logo trabalhar com o seu verdadeiro talento, menina! Pare de perder tempo fazendo o que você não gosta!

11911159_10153552773771552_1532511281_n

Você pode ver que o DISC da direita é completamente oposto ao meu, que está na esquerda. Graças a Deus o da direita é o DISC do meu irmão e sócio Nando Teixeira…hehehe

Está gostando? Entre para minha LISTA VIP e receba conteúdo exclusivo sobre coaching: 

Botão Facebook

Por que estou lhe mostrando isso?

Porque eu acredito que uma parceria de sucesso geralmente nasce do encontro de pessoas com talentos completamente diferentes que se complementam, ao invés de disputarem a execução das mesmas atividades. Na Reconstruindo Histórias nossos papeis são muito bem definidos: eu atendo clientes, vendo os nossos serviços, elaboro e-mails. Já o meu irmão cuida da parte de informática (blog, anúncios no face, ferramentas digitais) e organiza as finanças da empresa.

Em momento algum tentamos invadir a área de atuação do outro, pois sabemos que somos bons exatamente no que já estamos fazendo. Isso é muito legal e ajuda bastante, mas uma outra questão muito importante e que eu acredito que todo coach deveria avaliar são os VALORES dos seus parceiros de trabalho, pois são os valores que motivam as pessoas a tomarem decisões:

Dani Teixeira
1 Liberdade
2 Contribuição
3 Individualidade
4 Reconhecimento
5 Desafios
Nando Teixeira
1 Honestidade
2 Responsabilidade
3 Segurança
4 Comprometimento com o próximo
5 Crescimento Contínuo

Ter valores diferentes do seu sócio é necessariamente um problema? Não. O problema existe quando você não conhece e/ou não entende o que motiva o seu sócio a tomar decisões, ou quando vocês não respeitam os valores um do outro, porque, isso sim, pode gerar guerras intermináveis que acabarão prejudicando os resultados dessa parceria.

Se o Nando tentar me controlar, ele já sabe que eu vou sofrer e que provavelmente ele não irá conseguir. O mesmo acontece quando eu tento convencê-lo a infringir alguma regra que ele leu lá no rodapé de um termo de uso. Gente, esse homem não sai da linha de jeito nenhum! Eu sempre brinco que, se ele não aprender a sair da linha, vai acabar sendo “atropelado por um trem”.

rails-to-fall-colors

Ele faz as coisas no tempo dele e com muito foco em qualidade. Eu sou acelerada e faço um monte de coisas ao mesmo tempo, mas depois ele tem que corrigir tudo, claro! hehehe

11913397_10153552800961552_118987301_n

Com certeza eu perderia muito tempo se tentasse organizar as ferramentas e planilhas da Reconstruindo Histórias. Já ele, teria menos facilidade em relacionar-se com os clientes com a mesma espontaneidade e tranquilidade que eu tenho.

Em resumo: viva as diferenças! Não procure pessoas iguais a você para dividir funções. Trabalhe com o seu verdadeiro talento e delegue as tarefas em que você não for bom.

Você tem alguém para apoiá-lo na sua carreira de coach?

As pessoas da sua família estão apoiando você ou ficam falando para você arrumar um “emprego de verdade”?

download (1)

Conte-nos aqui nos comentários. Nós iremos adorar ler sua história.

E se esse artigo ajudou ou inspirou você de alguma forma, por favor, compartilhe com seus amigos.

PS: “Quer ir rápido, vá sozinho! Quer ir longe, vá acompanhado”.

Um forte abraço,

Dani Teixeira

14 Comentários


  1. Muita gratidão Dani Teixeira e Nando Teixeira, vcs são extraordinários!!!
    Estão me esclarecendo bastante!

    Qdo fiz c/vcs o teste de Análise Comportamental ( DiSC ) e soube q
    meu perfil é Cautela, me ajudou a executar as tarefas c/harmonia.
    Às vezes, fico na ” linha do trem “.
    A alegria na execução da tarefa é a maior recompensa.

    Sempre aprendendo c/vcs.
    Mto obrigada!

    Responder

    1. Obrigada, Nilza! ;o)

      Eu uso essa ferramenta em TODOS os meus atendimentos. Acho essencial entender como o cliente se comporta para depois começarmos o nosso trabalho de maneira efetiva!
      Legal você ter feito, pois o primeiro passo antes de ajudar alguém é se conhecer. Entender quais são as nossas qualidades e pontos de melhoria é SENSACIONAL!!!

      Abraços!

      Responder

  2. Muito bom! Já quero adquirir esta ferramenta/certificado para me auxiliar no meu trabalho!
    Eu tenho apoio do meu esposo, mas sinto falta de parceria no trabalho e preciso aprender a terceirizar alguns serviços. Como sou webdesigner também, me acho no dever de fazer tudo, só que isso toma muito tempo. Principalmente na parte de divulgação e marketing digital que tenho uma certa fobia. Ahahhaha.

    Responder


  3. Dani e Nando, artigo top das galáxias!
    Tenho dois pontos que queria dividir com vocês e ouvir a opinião.
    No meu trabalho atual (que ainda não é coach) exige-se uma comunicação a empresa de realização de outra atividade remunerada. Fico sem saber se esse é o momento porque com certeza serei questionada, fora que a minha família acha um absurdo eu pensar em sair de um emprego tãoooo bom.
    E ae? Como dizer ao mundo tudo isso sendo um alto C?
    Muito obrigada
    Beijos

    Responder

    1. Oiê, Thais! Gratidão pelo carinho!

      Para ser coach, você precisa se assumir como coach publicamente e divulgar bastante o seu trabalho. A melhor forma de se sentir segura para fazer isso sem ter o apoio da sua família é se aproximando de pessoas que tem o mesmo objetivo que você e que estão alguns passos na sua frente, pois dessa forma o seu C enxergará que é possível viver de coaching.

      Se o seu trabalho atual não permite que você se divulgue como coach, comece a se organizar financeiramente para sair de lá e começar a trabalhar com o que realmente faz o seu coração pulsar.

      Beijos

      Responder

  4. Dani, muuuito bom, um complementa o outro… A minha família (meus pais, minha irmã e meu marido) estão me apoiando sim, graças a Deus. Acho q esse apoio se deve ao fato de eles verem q estou feliz e fazendo algo que me deixa bem! Adooooro seus videos, emails e vamoooooooo!!!

    Responder

    1. Gratidão pelo carinho ao acompanhar meus vídeos e emails! Fico muito feliz por saber que você tem o apoio da sua família! Assim fica muuuuito mais fácil! Beijos ;o)

      Responder

  5. Graças a Deus tenho o suporte de minha família! Apesar de terem se assustado muuuito quando falei que não tenho a menor vontade de continuar na minha antiga profissão. Hoje estou no “iniciozinho” do processo de trabalhar com coaching, ainda batalhando para conquistar meu espaço nas mídias sociais! Percebo que este é o primeiro passo para me colocar no caminho que minha alma pede! Pode parecer ambição demais, mas realmente acredito que fazendo a minha parte posso ajudar a melhorar o mundo!
    A lei do retorno irá retribuir todo o bem que você, seu irmão e sua equipe têm feito ao planeta gerando tantas energias positivas!
    Obrigado por compartilhar suas ideias e sacadas!

    Responder

  6. Adorei o texto, há alguns anos busco viver 100% de Coaching, gostaria de acelerar este carro, mas ainda não descobri como, será que preciso encontrar meu sócio?! Enfim, agradeço pelo apoio Dani Teixeira! Continue mudando vidas com seu conhecimento e lindo sorriso…

    Um grande abraço,

    Responder

    1. Gratidão pelo carinho, Michele! Eu acelerei o meu carro quando me inscrevi no Profissão Coach. Você já fez o curso? ;o) Beijos

      Responder

  7. Dani, amo seus conteúdos. Me orienta, me ajuda muito. Sou pedagoga, funcionária pública, aguardando aposentadoria. No ano passado em Maio , dei entrada nos meus papéis para posentar. Aí pensei, na hora que vier essa aposentadoria vou pirar senão tiver nada pra fazer. Me ilumima meu Deus, me abra um caminho. E navegando na internet, acehi um curso de Coach da Line Coaching, que dava no meu orçamento, já que tenho uma filha na faculdade e outra na Pós. Comecei a fazer e apaixonei. Estou terminando a última parte agora. Já fiz meu pro bonos e agora comecei atender algumas pessoas. O que me falta é tempo. Pois continuo trabalhando ainda na prefeitura. mas devagar estou indo e fazendo muito bem feito.
    Um grande abraço e Gratidão pelos seus compartilhamentos.

    Cleusa

    Responder

    1. Oiê Maria Cleusa, que linda sua história. Na minha experiência, eu percebi que esperar pelo momento ideal é uma forma de adiar os sonhos, pois nós fazemos o que consideramos prioridade sempre e acaba que o tal “momento ideal” não chega. Se você tem o valor da segurança muito grande, é importante se permitir fazer essa transição entre a prefeitura e trabalhar como coaching. O que importa é a direção, dar pequenos passos rumo ao que deseja, e não o ritmo. Bjos

      Responder

Deixe seu comentário...