O que eu Aprendi com o Forrest Gump sobre a Armadilha do Conhecimento.

O Forrest Gump é um exemplo no combate à armadilha do conhecimento. Calma que vou te explicar por quê! ;o)

Não sei se você já assistiu ao filme Forrest Gump (se não, assista, tá? Vale muito a pena!). É muito comum que os coaches fiquem presos na armadilha do conhecimento. Eu não sei se isso já aconteceu com você, talvez tenha acontecido com a maioria, mas felizmente desse mal eu nunca sofri, pois eu sempre fui uma pessoa muito “Forrest Gump”!

Antes de tudo, armadilha do conhecimento é uma situação muito comum e acontece também em outras profissões. No coaching, ela ocorre quando o coach entende que, para exercer a profissão, viver de coaching, precisa se capacitar cada vez mais, fazer 25 formações, 10 cursos digitais, 10 especializações, enfim, um número incontável de conhecimentos teóricos. Na prática, ele não coloca em ação o conhecimento teórico e acaba fazendo sempre outros cursos sob pretexto de necessidade para poder trabalhar com coaching. Resultado? Não entra em ação em momento algum e continua na “armadilha do conhecimento”.

Voltando ao filme, deixa eu explicar a relação dele com esse assunto. Quando o Forrest Gump queria correr, ele começava a correr e de repente ficava muito bom e ganhava prêmio de corrida. Depois, ele começava a jogar ping-pong, jogava muito ping-pong e ficava bom naquilo também e ganhava medalha olímpica. Então, ele nos ensina que, independente de qual seja o seu talento, quando você pratica e repete, você aprende de verdade, você se destaca naquilo.

Então eu sempre fui uma pessoa extremamente prática. Eu estudo alguma coisa sempre pensando: “Como é que eu vou aplicar isso? Como eu vou transformar isso em algo prático na minha vida?”. Assim foi também com os cursos de Coaching que eu fiz na minha vida. Sabe o que é interessante também? Os coaches ficam lá presos na armadilha do conhecimento, achando que tem fazer PNL 30, MasterCoach 5, só que nunca um cliente me perguntou onde é que eu formei, quantos cursos eu fiz. Essa curiosidade é coisa de coach, se livre disso imediatamente, seu cliente quer é resolver o problema dele e pronto!

Tomara que eu não precise mais falar de armadilha do conhecimento, eu não aguento mais ver foto de coaches na formação 37 sem atender clientes e começar a colocar a mão na massa. Pare com isso! Se você está buscando informações para se sentir seguro, você está no caminho errado! Não é isso que tem que fazer, tem que atender, tem que ter muito cliente, tem que praticar e repetir igual ao Forrest Gump!

Quando queria ficar boa em fazer vídeos, o que que eu fiz? Eu comecei a gravar vários vídeos! Quando eu queria ficar boa em atendimento, comecei a atender muita gente, agendava 7 pessoas por dia, mesmo sabendo que eu ia “tomar bolo”Então, esta é a prática Forrest Gump que eu sugiro que você siga. Se tiver desestimulado, se tiver achando que “Ai, eu não vou conseguir!”, vai lá, assiste o Forrest Gump que você vai ver do que ele foi capaz. Se ele conseguiu, eu também posso e você também pode!

Não caia nessa desculpa de “isso não funciona pra mim”. Ele era um cara desenganado, ninguém dava nada por ele, tinha inteligência abaixo da média segundo os médicos, capacidade física limitada e ele simplesmente arrebentou! É isso que acontece com qualquer pessoa que pratica e repete algo, entende? Você não pode mais estudar do jeito que estuda e não colocar em prática! Isso me dá arrepio e deveria dar em você também!

Vamos para ação e comemorar seus resultados?

Com carinho,

Dani Teixeira

2 Comentários


  1. Sensacional essa matéria Dani. Muito obrigada por compartilhar e nos dar esse “tapa na cara”.. eu era uma dessas, que você descreve ai.. não vou mais te dar arrepios, estou entrando em ação agora mesmo!!! Gratidão!! KikaCoach

    Responder

    1. Oi Claudia, gratidão pela resposta e parabéns pela clareza, agora é entrar em ação e conseguir os primeiros resultados. Vamoooooo… ;o)

      Responder

Deixe seu comentário...