Como Ganhar Mais e com Mais Propósito em Coaching?

Não só o coach, mas em qualquer carreira, todo mundo quer ganhar mais e se sentir profissionalmente realizado. É por isso que, embora eu esteja me dirigindo aos coaches, acredito que o as minhas observações são válidas para qualquer pessoa.

Antes de mais nada, você precisa fazer as pazes com seu dinheiro. Com o seu dinheiro ou com o dinheiro que você nem tem ainda, senão ele dificilmente irá entrar ou permanecer na sua conta bancária. Antes de ser coach, eu acreditava que toda pessoa que tinha muito dinheiro era esnobe, valorizava bens materiais ao invés de valorizar pessoas, ela valorizava coisas. Então, eu não queria estar no time destas pessoas. Eu pensava assim: “Não! Elas são esnobes, distantes, elas não valorizam ninguém.”. E essa crença era totalmente incompatível com a minha vontade de viver de coaching. Eu acreditava nisso, achava que vivia bem acreditando nisso a minha vida inteira

Só que, quando eu percebi que eu ia ter que me vender, que eu ia ter que me valorizar, valorizar o meu trabalho, subir o meu preço, cobrar o que eu realmente achava que era justo pelo meu serviço, eu tive que me libertar dessa crença. E eu me libertei com autocoaching. Existem algumas leituras também que são excelentes, como por exemplo “Os segredos da mente Milionária” do T. Harv Eker. Coach, você tem que ler isso aqui! Na verdade, todo ser humano tem que ler esse livro, mas para o coach, a leitura é obrigatória! O que nós aprendemos no livro? Uma das coisas incríveis que ele fala é que “o dinheiro intensificará o que você já é”. Ninguém vira algo porque tem dinheiro. Então, se você é um mala, vai ficar mais mala ainda! Se você é uma pessoa centrada nos seus valores, que tem vontade de ajudar o próximo, que quer realmente mudar o mundo, fazer a diferença na vida das pessoas, o dinheiro só irá intensificar isso.

Hoje, o meu relacionamento com dinheiro é muito bacana. Eu olho para o dinheiro que está na minha conta e penso que ele é a métrica que me fala quantas pessoas eu já ajudei. Então, isso é muito importante para mim, pois, quanto mais dinheiro tem lá, mais eu consigo ajudar as pessoas, fazer parcerias, me envolver em projetos que tem os meus valores. Fazer as pazes com o dinheiro me fez ser uma coach muito melhor.

Se você tem algum problema com o dinheiro, se você acha que ganhar dinheiro é difícil, que você tem que morrer de trabalhar para ganhar pouco dinheiro, que dinheiro é do mal, que vender é coisa do mal, se liberte disso! Porque vender é muito bom, ganhar dinheiro é muito bom.

Existe uma pirâmide que eu aprendi com coach Paulo Vieira, a pirâmide do coaching. Na base dela, existem os coaches doadores, são as pessoas que doam, são boazinhas, que querem mudar o mundo. E é muito lindo ser doador! Nós temos mesmo que fazer caridade. Eu acredito que não há salvação fora da caridade e que temos mesmo que contribuir (contribuição é o meu valor número 2). Só que estas pessoas estão na base da pirâmide. Alguém quer ficar na base? Nós queremos é ficar no topo da pirâmide, não é?

Logo depois desta base, vem uma outra parcela de coaches que são os tomadores. Sabe aquele cara que só fica te pedindo as coisas? Ele nunca te reconhece, nunca pensa que ele tem que te pagar para falar com você, para te pedir um favor, para te pedir alguma coisa. Ele quer que você trabalhe para ele de graça! Esse cara (o tomador) tem mais resultado – por incrível que pareça! – que o doador que está embaixo dele! Olha só, que incrível! Eles conseguem ter mais resultados na vida que os doadores que estão lá só doando, doando, doando e que pensam: “Pode vir! Pisa em mim que eu estou acostumado!”.

Depois dos doadores e dos tomadores, vem uma terceira camada da pirâmide que são os trocadores. O que são os trocadores? São aquelas pessoas que doam e que recebem com equilíbrio. E aí você pode pensar “Nossa! Eu quero estar nos trocadores!”. Só que não são os trocadores – ainda – que estão no topo.

Quem está no topo são os doadores, ou seja, o cara que doa igualzinho o que está na base, ele doa do mesmo jeito, só que ele se valoriza. Ele sabe que o trabalho dele tem valor, que as pessoas tem que pagar pelo trabalho dele. Que as pessoas tem que achar que estão pagando pouco, porque o trabalho dele vale muito mais. São essas pessoas que ficam no topo, que se destacam e que estão no topo do coaching mesmo! Isso tem que ficar muito claro para nós. Nós temos que saber que o coach tem que se valorizar. Porque dessa forma, ele vai da base para o topo. É muito mais fácil você pegar um coach que está na base e levar para o topo, do que mexer nas outras camadas da pirâmide. Por quê? Porque o coach tem que contribuir mesmo! Nós vivemos de ajudar as pessoas. E se a pessoa não tiver valor de contribuição? Provavelmente ela vai achar chata essa carreira e não terá sucesso, pois vai ter pensamentos do tipo “Aí! Que saco! Vou atender mais um.”.

Por isso, se você é um doador e tem algum problema com dinheiro, resolva isso! Como é que você vai resolver? Primeiro, faça leituras que vão te ajudar (existem outros livros também que depois eu posso recomendar, peça nos comentários, se quiser). Depois, pratique autocoaching e faça coaching como cliente, pois é muito importante para os coaches passarem pelo processo e perceber o poder dessa metodologia incrível.

Continue identificando se tem alguma coisa que te incomoda relacionado a dinheiro, alguma voz que fica falando para você que “não, você está sendo mercantil! Você está vendendo! Você está pensando é no dinheiro e não em ajudar as pessoas.”. Aquela voz que atrapalha você a se valorizar para entregar o seu melhor para o seu cliente. Até porque, nós sabemos que as pessoas se comprometem mais quando elas pagam. Não fui eu que inventei isso, não foi você. O mundo funciona assim, normalmente. E é assim tanto para um cliente de coaching, como conosco, tá? Nós valorizamos mais quando somos pagos, quando estamos pagando. Faz parte do ser humano, somos assim.

Depois de tudo que eu disse, fica a reflexão: você tem algum problema com o dinheiro que tem ou com o dinheiro que nem ganhou ainda? Se sim, faça um favor a si mesmo de resolver isso, pois senão você não vai ser um coach de sucesso e não conseguirá ir para o topo desta pirâmide do coaching, que é onde estão aqueles que mais se valorizam.

Com carinho,

Dani Teixeira

6 Comentários


  1. Muito boa essa dica Dani.Estou trabalhando esse lado na minha vida para receber a recompensa. Você é fantástica! Rs …muito profissional no que faz.Grande Abraço.

    Responder

  2. Essa é uma questão realmente muito importante. Gratidão por compartilhar !!!

    Responder

    1. Gratidão pelo comentário Claudia, concordo com você, muitos coaches acabam desistindo da carreira por dificuldades em lidar com dinheiro.

      Responder

  3. Dani, obrigada pelas palavras muito esclarecedoras. Você comentou sobre outros livros. Poderia indicar por favor. Gratidão.

    Responder

    1. Oiê Roberta, gratidão pelo comentário. Vamos à sugestões: Fato de Enriquecimento – Paulo Vieira; Conexão com a Prosperidade – Bruno Gimenes e Patrícia Cândido; Salomão, o Homem Mais Rico que Já Existiu – Steve Scott;

      Responder

Deixe seu comentário...